Declínio das abelhas

Importância

A polinização consiste na transferência de grãos de pólen da antera de uma flor para o estigma da mesma ou de outras flores e é tida como uma consequência natural da atividade de um organismo na flor. O polinizador está geralmente à procura de néctar e pólen quando os grãos de pólen se aderem ao corpo do animal. Quando este mesmo animal visita outra flor pela mesma razão, o pólen cai no seu estigma podendo resultar na fecundação e consequente sucesso reprodutivo da planta.

O processo de polinização e fecundação da planta ocorre quando as abelhas estão coletando néctar nas flores e é através dele que são produzidas as frutas, legumes e amêndoas que nos servem de alimento. Exceto algumas plantas agrícolas como o milho, arroz e trigo, onde o vento tem papel importante na polinização, uma grande diversidade culturas agrícolas normalmente dependem da polinização por abelhas. Sendo assim as abelhas, através da polinização, desempenham um papel vital para o ser humano no que se refere à diversidade, qualidade e quantidade de produção de alimentos já que polinizam a maior parte das plantas cultivadas de relevância sócio-econômica existentes. Para se ter uma noção, aproximadamente uma a cada três mordidas de alimento que ingerimos é produzida devido à polinização das plantas pelas abelhas. No entanto, esses insetos produtores de mel e benéficos à produção agrícola estão sendo reduzidos em número e diversidade a cada ano em algumas regiões do globo.

Uma visão sobre o problema

Há pouco mais de uma década o interesse em se estudar abelhas não era tão intenso quanto é atualmente. Isso mudou a partir de 2006 devido ao CCD (em inglês colony colapse disorder), que traduzido para o português seria a desordem do colapso da colônia. Esse fenômeno ocorre quando as abelhas operárias coletoras de pólen deixam abruptamente a colmeia, abandonando a rainha e as abelhas jovens. A disseminação do CCD, principalmente nos Estados Unidos, popularizou a preocupação com o possível declínio de abelhas passando a fazer parte do noticiário e tendo como consequência o aumento de trabalhos publicados sobre o assunto.

O caso é que o problema do declínio das abelhas vai bem além do que o CCD, como reconhecido atualmente, já que em alguns casos o mesmo não ocorre e mesmo assim as colônias de abelhas diminuem a cada ano. Esta perda é atribuída a muitos fatores como a ação de parasitas, doenças, perdas de habitat natural, mudanças climáticas e más práticas agrícolas, entre elas o uso de pesticidas.  Apesar de não haver um consenso sobre o assunto, os pesquisadores apontam os pesticidas, devido a sua gama de efeitos prejudiciais aos insetos, como um importante fator no declínio das abelhas.

Como amenizar ou solucionar o problema?

Estamos numa encruzilhada onde a sobrevivência das abelhas depende da estreita colaboração entre políticas públicas, consumidores, apicultores, produtores agrícolas e pesquisadores. É importante a adoção de políticas públicas que incentivem o uso de boas práticas agrícolas e incentivem a policultura em detrimento da monocultura possibilitando um um “habitat natural” atrativo às abelhas.

É fundamental, também, saber por parte dos consumidores que a compra e consumo de mel é bom para as abelhas. Os apicultores precisam de nosso apoio; vender mel significa ajudar a cuidar de suas abelhas. Apesar de que, hoje, o setor apícola não sobrevive apenas com a produção de mel.  Por isso, os apicultores principalmente nos EUA, Canadá e parte da Europa fazem contratos com produtores rurais que pagam pela polinização do seu cultivo o que possibilita a eles um rendimento adicional de cerca da metade da receita com a venda do mel. Uma vez contratados os apicultores viajam com suas abelhas, seguindo as estações de polinização.

Outro ponto importante seria a diversificação de cultivos feito pelos produtores rurais, entre suas linhas de plantio, de maneira a possibilitar uma dieta diversificada para estes polinizadores. Esta medida é importante porque muitas plantas utilizadas na agricultura não apresentam um conteúdo elevado de néctar e, se queremos as abelhas sadias, o primeiro passo é alimentá-las bem.

Resumindo: os apicultores precisam do apoio do consumidor e de produtores rurais para aumentar seu rendimento financeiro e continuar a produzir mel; o produtor rural precisa de maior e melhor produção agrícola; e os pesquisadores precisam de dinheiro para realizar as suas pesquisas. Neste caso é importante que tanto o apicultor como o produtor agrícola tenham a noção que as pesquisas sobre as abelhas não devam ser financiadas apenas pelo setor público, onde a aprovação de projetos e a liberação de recursos são normalmente demorados. O declínio das abelhas é assunto de urgência. Assim, as abelhas necessitam que o apicultor e o produtor agrícola também invistam em pesquisa possibilitando a liberação de fundos mais rapidamente do que o setor público.

Considerações

As abelhas são organismos importantes para a ecologia, a estabilidade e a conservação dos ecossistemas terrestres, além de economicamente importantes como polinizadores em sistemas agrícolas. Sabemos que precisamos das abelhas e dependemos delas, contudo isto não quer dizer que “o desaparecimento das abelhas levará a extinção da espécie humana”. Isto quer dizer sim que a vida sem as abelhas só tornaria a vida humana mais difícil. Se as abelhas desaparecem nós ainda teremos alimento, contudo não teremos variedade pois esta diversificação alimentar ficaria fora do alcance de muitas pessoas e com certeza a nossa qualidade de vida seria comprometida. Por isso é importante que a sociedade como um todo tenha consciência e invista na solução do problema.

Guedes, N. M. P.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *