Insetos inspiram os homens: 1) coleta de água

A última notícia escrita por mim no site da ENTO+ foi sobre o balanço de água em insetos. Relatei perda e ganho de água em insetos terrestres. Contudo, volto a este assunto porque esta semana me deparei na internet com uma matéria que me chamou a atenção e que tem relação com a notícia por mim escrita anteriormente. A notícia trata sobre algumas espécies de besouros que inspiraram um designer a produzir um equipamento que permite a coleta de água para moradores do deserto da Namíbia.

O deserto da Namíbia, localizado no sudoeste da costa africana, é um dos locais mais quentes do mundo. Nele habita uma variedade enorme de besouros da família Tenebrionidae que, através da sua fisiologia e comportamento, conseguem explorar e sobreviver nesse ambiente inóspito. Espécies como Onymacris unguicularis e O. bicolor utilizam o seu corpo para coletar água através de uma combinação de áreas com reentrâncias ou cavidades que são recobertas com uma substância cerosa altamente hidrofóbica e áreas hidrofílicas que aumentam a captação de água através da transformação de vapor em água. Nesse ambiente seco, a captação de água é feita pelo inseto durante a manhã, quando o tempo está mais úmido e com a presença de nevoeiros. Quando a água precipita ela é coletada nas cavidades do corpo do inseto que daí, através da movimentação de sua cabeça e do élitro, vão para a boca do inseto.

Em período longo de ausência de chuva, ter todo esse aparato de coleta de água é vantajoso para esses insetos. Foi observado no deserto da Namíbia que os insetos que conseguem captar água e consequentemente bebê-la, conseguem sobreviver mais eficientemente tanto no período úmido quanto no período seco de poucas chuvas. Em contraste, os insetos que não apresentam essa adaptação desaparecem ou declinam a menos de 1% da população nesse ambiente.

Esse assunto tem inspirado não apenas cientistas interessados em estudar como o corpo do inseto, através da sua estrutura química e fisiológica, além do seu comportamento, conseguem capturar água do ar. Tal fenômeno veio também a inspirar o designer Kitae Pak, da Yanko Design (veja mais em yankodesign.com), a criar um dispositivo feito em forma de cúpula que recolhe, através do nevoeiro, gotas de água que precipitam em um reservatório para posterior consumo. Quem tiver interesse, vale a pena entrar no site da Yanko Design pois tem um pequeno vídeo feito pela BBC que mostra o besouro bebendo água. Este tipo de criação com certeza é bem-vinda não apenas para ser utilizada no deserto da Namíbia, mas também em regiões similares distribuídas pelo planeta. O fenômeno relatado pode servir também como inspiração aos nossos designers para projetar outro equipamento que possa ajudar a coleta de água em regiões brasileiras áridas, como o sertão nordestino.

 

Guedes, N. M. P.